Nos dias 9 a 13 de dezembro, o Grupo de Estudos Audiovisuais da Ufes (GRAV) realiza a quarta edição da Mostra Acidentes Televisivos. Desta vez foi escolhida a série O Reino, escrita e dirigida pelo aclamado cineasta Lars Von Trier. As exibições ocorrerão no Cine Metrópolis, todos os dias, das 16h30 às 19h. Serão dois episódios por dia, sendo que no último será realizado um debate com a participação do cineasta capixaba Rodrigo Aragão, diretor dos filmes Mangue Negro e A Noite do Chupacabras. A entrada é gratuita.

A série O Reino, criada pelo polêmico Lars von Trier e co-dirigida por Morten Arnfred, foi lançada em 1994 na televisão dinamarquesa. Aliando uma estética crua a uma narrativa com elementos de humor negro e terror fantástico, a obra conquistou a audiência e a crítica, e o que foi programado como um produto a ser exibido em apenas quatro episódios acabou ganhando uma segunda temporada, lançada em 1997. Também houve uma remontagem da primeira temporada, lançada em DVD, bem como uma adaptação para a TV americana escrita por Stephen King.

Nesta edição da Mostra Acidentes Televisivos, o Grav apresenta, em quatro dias de sessão, os oito episódios que compõem a série original. O debate do último dia com o cineasta Rodrigo Aragão contará a mediação do professor de comunicação social da Ufes e coordenador do GRAV Alexandre Curtiss.

O enredo de O Reino parte da premissa de que o Rigshospitalet, ou apenas Riget (que em português significa reino), o maior hospital da Dinamarca, teria sido erguido sobre um pântano místico que, séculos antes, era usado pelas pessoas para lavar roupas. Com o desenvolvimento da mentalidade moderna, o ambiente espiritualizado e supersticioso que outrora ali se estabelecia fora subjugado, mas esses aspectos estariam novamente vindo à tona. Desse modo, a história intercala os dramas vividos por vários personagens diferentes dentro do hospital e o surgimento de aparições sobrenaturais e eventos misteriosos.

O Reino serve como um prenúncio das idéias que Lars Von Trier, juntamente com seu conterrâneo Thomas Vinterberg, desenvolveria um ano mais tarde no famoso manifesto do Dogma 95. Trata-se de um movimento que pregava a volta a um cinema mais realista e menos comercial, impondo uma série de restrições técnicas aos realizadores, tais como o uso de câmera na mão e luz natural durante as filmagens. No que diz respeito à temática, a série faz refletir, entre outros assuntos, sobre o que seria a natureza intrinsecamente egoísta e cruel do gênero humano e sobre o fracasso do progresso tecnológico, ideias caras ao cineasta dinamarquês. A exibição de O Reino, portanto, serve para fomentar as discussões sobre os rumos da televisão e do cinema contemporâneos, bem como das questões gerais suscitadas pela obra. E é, sobretudo, uma boa oportunidade de mostrar uma importante realização, mas pouco vista pelo público local, de um dos artistas mais provocativos da atualidade.

Sobre as mostras Acidentes Televisivos

Acidentes Televisivos é um projeto do GRAV que visa a exibição e discussão de produtos culturais realizados por cineastas de vários países para serem exibidos na televisão. São obras pouco conhecidas pelos espectadores locais, mas que apresentam grande importância artística. Até o momento, já foram exibidas quatro séries diferentes por meio do projeto, todas elas em 2010: Decálogo (1988), de Krzysztof Kieslowski, da Polônia; A Pedra do Reino (2007), microssérie brasileira de Luiz Fernando Carvalho; Cenas de um Casamento, do cineasta sueco Ingmar Begman (1973); e a série cult americana Twin Peaks (1990), de David Lynch e Mark Frost. Também foram realizados debates ao final de cada mostra com pesquisadores e profissionais das áreas de psicologia, comunicação, teatro e audiovisual.

Programação:

O Reino I (Riget), de Morten Arnfred e Lars von Trier
Dinamarca/Alemanha/França/Suécia, 1994, 265’
Ernest-Hugo Järegård, Kirsten Rolffes, Holger Juul Hansen, Ghita Nørby,
Baard Owe, Peter Mygind, Laura Christensen, Udo Kier

O Reino II (Riget II), de Morten Arnfred e Lars von Trier
Dinamarca/Suécia/Itália/Noruega/Alemanha/França, 1997, 286’
Ernest-Hugo Järegård, Kirsten Rolffes, Holger Juul Hansen, Ghita Nørby,
Baard Owe, Peter Mygind, Laura Christensen

9/12 – O Reino I
Episódio 1 – Den hvide flok (63’)
Episódio 2 – Alliancen kalder (65‘)

10/12 – O Reino I
Episódio 3 – Et fremmed legeme (68’)
Episódio 4 – De levende døde (74‘)

11/12 – O Reino II
Episódio 1 – Mors in Tabula (63’)
Episódio 2 – Trækfugle (86’)

12/12 – O Reino II
Episódio 3 – Gargantua (83’)

13/12 – O Reino II
Episódio 4 – Pandæmonium (84‘)
Debate com Rodrigo Aragão

Anúncios

»

  1. […] quem mora em Vitória está com sorte. A mostra Acidentes Televisivos estará apresentando todos os episódios da série de 9 a 13 de dezembro de 2011. Organizada pelo […]

  2. Sheron Neves disse:

    Olá pessoal,
    Gostaria de convidá-los a ver meu post sobre “O Reino” no blog O Café (http://www.ocafe.com.br/2011/12/01/o-reino-de-lars-von-trier/). Por uma feliz coincidência, algumas horas antes de postá-lo descobri sobre a mostra Acidentes Televisivos, e acabei mencionando o evento de vocês. Espero que seja um sucesso. Grande abraço!
    Sheron.

    PS: Aproveito a oportunidade para convidá-los a conhecer meu blog sobre Estudos de Televisão, que tem um foco mais acadêmico: sher-meditationsinanemergency.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s